CABEAMENTO ESTRUTURADO

A TECNOINFRA ao longo de seus 10 anos de existência, adquiriu larga experiência em projetos de Cabeamento Estruturado, Redes Elétricas e Infraestrutura para cabos. Através de mão de obra especializada temos capacidade de projetar, implementar e realizar reparos de toda a infraestrutura do ambiente de rede de computadores de todos os portes. Todo cabeamento realizado pela TECNOINFRA passa por processos de identificação, mapeamento e certificação, garantindo assim padronização, confiança e segurança na transmissão de dados, obedecendo sempre rigorosos padrões de qualidade e normas.

PADRÕES E NORMAS

A fim de um cabeamento de rede ser classificado realmente como estruturado, é preciso seguir um padrão internacional na sua instalação. Isto é, deve atender o padrão ANSI/TIA-568-C.0  ou o padrão TIA-568-C.1, os dois mais utilizados no Brasil atualmente. Em primeiro lugar, o ANSI/TIA-568-C.0 é um padrão mais genérico de telecomunicações para instalações do cliente. Em seguida temos o ANSI / TIA-568-C.1, um padrão de telecomunicações mais específico usada em edifícios comerciais. Em resumo, esse último padrão, bem como sua versão brasileira, podem ser usados para diversos fins, incluindo:
  • Comunicação de dados, tanto de Voz Analógica quanto de Digital VoIP;
  • Monitoramento de CFTV;
  • Alimentação remota PoE (Power over Ethernet);
  • Conexão de dispositivos IoT (Internet of Things);
  • Conexão de equipamentos industriais.
Diferente do que muitos pensam, soluções wireless não tornam o cabeamento estruturado um item obsoleto em ambientes corporativos. Atualmente, o cabeamento estruturado complementa as soluções wireless, sobretudo pela entrega de dados mais rápida que nos sistemas wireless.

E PRA QUE SERVE?

Primeiramente, o compartilhamento de informações dentro de uma empresa é algo vital, seja por linhas telefônicas ou outras redes. Sendo assim, uma boa estrutura de cabeamento para a sua rede significa uma comunicação mais rápida e eficaz. Além disso, manter uma boa estrutura interna permite a economia com gastos de comunicação independentes de redes exteriores (internet, etc).
Em segundo lugar, nem todos os cabeamentos estruturados servem para se conectar à internet ou à rede telefônica. Por exemplo, uma sala multimídia precisa de uma rede estruturada para se conectar o projetor a um computador. Em resumo, toda vez que for preciso se conectar diversos aparelhos diferentes por algum motivo, o cabeamento estruturado é usado.
Em terceiro lugar, um bom cabeamento estruturado permite maior facilidade de reparos em casos de falhas na rede. De fato, basta olhar a foto ao lado para que se perceba como uma boa estruturação facilita muito a vida.

OS SUBSISTEMAS DO CABEAMENTO ESTRUTURADO

1. Instalações de Entrada
Contêm diversos equipamentos com o propósito de se conectar ao provedor de acesso (AP) ou cabeamento de rede privada. Dessa maneira, elas incluem conexões entre a planta externa e o cabeamento interno do edifício.
 
3. Cabeamento de Backbone
É o subsistema com a finalidade de fornecer a interconexão entre as salas de telecomunicações, salas de equipamentos, espaços de provedores de acesso (AP) e as instalações de entrada.
 
5. Cabeamento Horizontal
O sistema de cabeamento horizontal se estende da área de trabalho até a sala de telecomunicações (TR) ou o gabinete de telecomunicações (TE). Inclui cabo horizontal, terminações mecânicas, jumpers e cabos de manobra localizados na TR ou TE. Incorpora conjuntos de tomadas de telecomunicações multiusuário (MUTOAs) e pontos de consolidação (CPs).

2. Sala de Equipamentos
O espaço centralizado controlado para equipamentos de telecomunicações é a princípio mais complexo do que uma sala de telecomunicações (TR) ou gabinete de telecomunicações (TE). Normalmente abriga a conexão cruzada principal (MC), assim como as conexões cruzadas intermediárias (ICs) e conexões cruzadas horizontais (HCs).
 
4. Sala de Telecomunicações (TR) e Telecomunicações (TE)
Alojam as terminações de cabos horizontais e de backbone ao hardware de conexão, incluindo quaisquer jumpers ou patch cords. Também pode conter o IC ou MC para diferentes partes do sistema de cabeamento de backbone. O TR ou TE também fornece um ambiente controlado para abrigar equipamentos de telecomunicações, conectando hardware e terminais de emenda.
 
6. Área de Trabalho
Seus componentes se estendem da saída de telecomunicações / extremidade do conector do sistema de cabeamento horizontal até o equipamento WA. Um mínimo de dois pontos de telecomunicação (links permanentes) devem ser fornecidos para cada área de trabalho. Os conjuntos de tomadas de telecomunicações multiusuário (MUTOAs), se usados, fazem parte do WA.
 

SOLUÇÕES DA TECNOINFRA OFERTADAS AO MERCADO CORPORATIVO

Projeto e execução de cabeamento de redes de dados, voz (Telefonia) e para CFTV Internos (Indoor) e Externos (Outdoor);
  • Montagem e organização de Racks;
  • Diagnóstico de problemas;
  • Expansão de cabeamento estruturado atual;
  • Soluções em cabeamento com cabos do tipo UTP, STP, em Categorias 5e, 6 e 6a; e Fibra Óptica Monomodo e Multimodo;
  • Instalações e organização de Racks de cabeamento ou Data Centers;
  • Certificação de cabeamento existente, com a utilização de cable scanners, adequando o cabeamento às normas técnicas nacionais e internacionais;
  • Identificação e mapeamento do cabeamento existente;
  • Documentação “as built”, com o posicionamento da infraestrutura, localização dos pontos, bay face dos racks, diagrama lógico das instalações e relatório da certificação dos pontos;
  • Backbone metálico e óptico;
  • Infra-estrutura de tubulações e encaminhamentos para cabeamento estruturado;
  • Completo atendimento à norma brasileira ABNT NBR 14565 e Internacional EIA/TIA 568;
  • Manutenção proativa e corretiva de cabeamento estruturado existente, mesmo que executado por outras empresas;
  • Reciclagem, descarte e tratamento ecológico de cabeamento obsoleto ou removido por nós;e
  • Retrofit, organização ou reorganização de cabeamento existente.